16/08/2017

Difícil

"É difícil dizer adeus quando se quer ficar;
É difícil sorrir quando se quer chorar;
Mais difícil é ter que esquecer,
Quando se quer amar..."

08/06/2017

Fazes-me falta!


"Fazes-me falta!
A ausência do teu nome é já um espaço em branco na minha rotina, daqueles que não deveriam acontecer, daqueles que são estupidamente vulgares e acontecem.

Não deveria fazer-me diferença, mas faz. Fizeste-me querer a tua atenção. Não...Não é falta de atenção, não quero outras, quero a tua. Quero o teu sorriso como ontem, quero o teu olhar sempre assim. Quero a tua confiança e o teu tempo. Fazes-me falta.


O silencio das tuas notícias que vão chegando tarde, fazem-me repensar nas minhas escolhas, até naquelas onde não tive opção. Ainda vou a tempo de fugir. Ainda vou a tempo de ignorar os caminhos que tenho a escolher, e não seguir na verdade nenhum deles. Vou perder-me, tenho a certeza disso antes de tentar encontra-lo. Nem certeza tenho se é um caminho, não me dizes. Os teus olhos dizem qualquer coisa que ainda não consegui decifrar, é nestas alturas que eu amo tanto as palavras e gostava que elas me abraçassem agora. Os teus gestos dizem-me que não é negro nem branco, é cinzento... E eu vou cair no nevoeiro como um carro que se despista numa estrada deserta. Não vai haver ninguém para me salvar, o 112 não vai servir de nada quando me encontrar no fundo da ravina. 

As fotografias dizem com certeza algo que não consigo descobrir, num manto de riso e cor-de-céu. Tu não dizes nada... Com ou sem cor. E eu vou esperando que a noite passe, incolor, na esperança que o amanhã me traga um pincel mágico, que me pinte um sol pelo meio da neblina, e me parta este silêncio de cristal que já fere.



Onde estás tu? Fazes-me falta..."


Desconhecido

27/12/2016

Segue a tua intuição

Segue a tua intuição, faz o que sentes que é certo, o que acreditas que é bom para ti...
Não recues, não te rendas, não ouses desistir de ti...
Na vida perde-se muito mais por medo do que por tentativas...
Sofia C. FernandesSegue a tua intuição, faz o que sentes que é certo, o que acreditas que é bom para ti...
Não recues, não te rendas, não ouses desistir de ti...
Na vida perde-se muito mais por medo do que por tentativas...
Sofia C. Fernandes

10/12/2016

Dezembro...



"O clima em Dezembro é diferente…porque há Natal…
Dizem que o Natal traz Magia…
A mim confesso-vos…este mês é um dos mais complicados do ano…
Mil e um sentimentos misturados…talvez seja a famosa Magia que o Natal nos traz e que tanto falam…mas em mim…essa Magia mistura-se com a saudade…a mágoa…a dor…a revolta…e deixa-me uma pessoa ainda mais suscetível…
Não há emoção em mim que não acabe com uma lágrima teimosa a correr-me pelo rosto…que tantas vezes tento disfarçar com o meu sorriso que nesta época perde o brilho
As lojas a abarrotar…as montras iluminadas, as ruas enfeitadas de mil e uma cores e luzes, que a cada vez que piscam o meu coração aperta…e a minha Alma grita em silêncio por socorro.
E para colmatar esta “guerra” de sentimentos dentro de mim…as músicas de natal que soam em todas as lojas…ruas e rádios…num pedido de socorro sem palavras…levanto a cabeça…respiro fundo…e de novo na minha mente as iluminações que brilham intermitentemente…
Enquanto dentro de mim…tudo é escuro…a luz está apagada."

Isabel Teixeira.

25/07/2016

Prometo Perder

QUEM QUER, ARRUMA UM JEITO. QUEM NÃO QUER, ARRUMA UMA DESCULPA

"Quem quer não adia, aparece. Quem quer te ver agora, não vai deixar pra amanhã, mesmo que a distância seja incalculável ou já seja tarde pra isso. Quem quer, não deixa pra depois o que pode ser feito agora. Quem quer ficar, fica sem que a gente precise implorar. Quem quer cuidar, simplesmente cuida. Quem quer, provavelmente não vai suportar a saudade, não vai poupar sentimento e entrega pra te ter.

Quem quer, arruma um jeito. Quem sente vontade, faz saudade virar encontro, faz cinema virar motel, faz o cansaço virar amasso, faz dias frios mais quentes. Quem quer é capaz de viajar 100 quilômetros só pra te ver, e não interessa se o tempo fechou tão rápido, quem quer não vai pensar duas vezes em te ver hoje ou deixar pra próxima semana. Quem quer, não vive de conversas, não perde tempo, não arruma mil e uma desculpas pra justificar que não vai dar pra te ver hoje porque o dia foi cansativo demais.

Quem tem saudade do teu sorriso não se contenta só em ouvir a tua voz pelo celular, quem quer estar com você sentirá necessidade de te ver pra conversar sobre como foi o seu dia, sobre todas as coisas que te fez perder a cabeça e vai entender que é melhor te abraçar nos momentos mais difíceis do que te mandar um ”fica bem” por mensagem. Quem quer te fazer bem, vai bater na tua porta com chocolates que comprou no meio do caminho pra tua casa e cervejas – é que o dinheiro era pouco e o vinho era caro. Quem quer realmente te ver, não esperará por um feriado ou por dias melhores que não tenham provas, nem muito trabalho pra fazer.

Quem quer te ver, não vai se lamentar, vai vestir a roupa mais próxima e sair com sorriso mais sincero ao teu encontro. Quem quer, não vai reservar um tempinho pra você ou um horário fixo pra te ver, vai te reservar a vida e vai te ensinar que quando a gente ama, a gente não mede esforços, a gente não quer o outro pra preencher aquele espaço que sobra na cama ou aquele tempo vago nos finais de semana. Quando a gente quer, a gente aceita o outro pra somar na vida, pra abrigar e torna-se abrigo, pra unir dois mundos.

Quem quer ficar, vai fechar os olhos em teu peito e permitir, sem medo, acordar só noutro dia. Quem quer, vai fazer corpo mole pra não levantar da cama e não sair da tua vida, vai roubar tuas manhãs, vai jogar os braços por cima de você e quando você perguntar se a posição da tua cabeça tá doendo nele, ele vai te responder que não. Quem quer ficar na tua vida, não pensará duas vezes antes de entrar. Ficará pro café da manhã e se possível pro jantar, é que o gosto do teu beijo vicia e ele seria burro em não prová-los ao máximo.

Quem quer ficar, vai encostar a cabeça em teu ombro e vai te deixar descobrir todos os medos e segredos, erros e defeitos, vai apertar a tua mão pra tentar te dizer algo em silêncio, e vai se despedir de você sem te tirar nada, te permitindo a liberdade e te deixando com aquela sensação de querer viver tudo e mais um pouco ao lado dela. Quem quer você, tem vontade de te repetir, de tomar todos os gostos com teu sabor, de provar todas as aventuras com você sem te dizer que precisa pensar, sem te dizer: ”hoje não dá”, ”deixa pra amanhã”, ”não tô a fim”. Porque quem quer, arruma um jeito. Quem não quer, arruma uma desculpa."

AD

23/07/2016

Amas-me muito mas...

Amas-me muito
Amas-me muito, mas não me queres para sempre.
Amas-me muito, mas não tens tempo para mim.
Amas-me muito, mas não confias em mim.
Amas-me muito, mas quando preciso de ti não estás.
Amas-me muito, mas guardas muitos segredos.
Amas-me muito, mas magoas-me na mesma.
Amas-me muito, mas nunca ficas mais um pouco.
Tu não me amas sequer, quanto mais… muito.

Raul Minh'alma

SE ALGUÉM NÃO DEU VALOR A VOCÊ, NÃO MENDIGUE NEM ATENÇÃO NEM AMOR

Devemos entender que a única pessoa imprescindível para a nossa felicidade somos nós mesmos. Se temos amor próprio e nos respeitamos, será mais difícil que os outros possam nos fazer mal.

Nunca perca o seu valor por uma pessoa que não sabe o que tem. Se alguém não der importância a você, se o ignorar, o abandonar ou desprezar você, não mendigue a sua atenção ou o seu amor, pois este nunca terá nada de real ou sincero.

Não morda mais a maçã envenenada do amor diferente, pois ela somente fará você sofrer. Se você “pede demais” é porque sabe que o que deseja tem um peso importante em sua vida e que é você quem deve outorgar primeiros seus pensamentos, opiniões, desejos e comportamentos.,

Devemos nos esforçar para tomar distância emocional daquelas pessoas que colocam em xeque o equilíbrio da balança afetiva de que todos precisamos, ao mesmo tempo em que cimentam na desigualdade emocional as relações que compartilhamos com eles.
Compartilhe com você seus desejos mais íntimos, escute-se com a vontade de amar-se e de aceitar-se, pois apenas isso lhe ajudará a se libertar de falsos amores.

O amor não se mendiga e a indiferença mata o carinho

Mendigar amor significa pedir algo que não existe, que somente está nos desejos de nossa mente. A única coisa que conseguiremos “mendigando” é faltar ao respeito com nós mesmos, entorpecer nosso crescimento emocional e machucar o nosso eu interior com a dor que a falta de dignidade fomenta.

Quando amamos alguém queremos cuidar desta pessoa e evitar que ela sofra. Nosso reflexo emocional nos leva a criar circunstâncias que façam com que o outro se sinta merecedor de carinho, que fomentem emoções e sentimentos de harmonia, autenticidade e carinho.

Se não nos cuidarmos dos falsos amores, acabaremos acreditando no que eles nos fazem sentir. Acabaremos pensando que não merecemos afeto ou atenção, e terminaremos convencidos de que as relações emocionais não precisam ser equilibradas.
Ao final, é simples: a pessoa que o merece é aquela que, tendo a liberdade de escolher, se aproxima de você, o aprecia e dedica a você seu tempo e seus pensamentos.

Ninguém pode fazê-lo infeliz sem o seu consentimento

A ferramenta mais poderosa para lutar contra a injustiça emocional e a indiferença é a determinação pessoal. Ela deve ser acompanhada de amor próprio, de autoconhecimento e de reflexões sobre os sentimentos, desejos e comportamentos próprios e alheios.

No entanto, o processo no qual nos vemos imersos nestas circunstâncias reflete a falta de dignidade. Essa que nos faz falta para não perseguirmos aqueles que não nos merecem.

Neste sentido, devemos saber que costumamos usar estratégias erradas para lidar com o luto pelo “não amor”. Vejamos algumas situações comuns:

O luto pelo “não amor” é um processo muito duro que se alimenta de uma dolorosa fase de pré-contemplação. Geralmente sabemos que “algo não está bem”, mas não nos atrevemos a descrever com palavras ou a tirar a venda de nossos olhos.
Deixamos que o mal-estar passe, mantendo a crença de que não pensar nele e o fato de nos distrairmos irá permitir que o problema se resolva de uma maneira natural.
Quando nos resignamos ao mal-estar, chega um momento em que este aumenta a níveis insuportáveis e temos que enfrentá-lo quando o mesmo já transbordou. No entanto, o que acontece quando lutamos contra nossos próprios sentimentos? A luta se transforma em uma batalha sem fim, cheia de desespero, o qual irá fomentar o sofrimento.
Também é comum ouvir aquilo de “abraçar a dor”, mas não é positivo nem ignorá-la e nem abraçá-la.
O que é realmente adequado para lidar com o luto pelo “não amor” é atendê-lo e compreender que isso dói porque alguém que queríamos que nos amasse não o faz.

Assim, para reverter a dor, o passo seguinte é dar uma solução a ela.

Qual é a solução adequada? Convencer a nós mesmos de que, se não obtivemos um afeto de maneira natural, dificilmente iremos consegui-lo de outras formas. Com isso, o correto para nós será nos afastarmos desta pessoa, pois somente assim teremos a garantia de que a dor será superável.

Para acabar com o sofrimento do “não amor” temos primeiro que entendê-lo e depois aceitá-lo, pois é uma consequência natural do luto pela perda daquilo que desejávamos ter e não temos.

Ame-se e valorize-se: alimente as suas relações com o amor próprio

Ainda que controlar cada história emocional seja algo complexo, todo sofrimento tem solução. A verdadeira mudança é possível quando trabalhamos aquilo que nos prende à situação dolorosa, e àquela pessoa a quem estamos mendigando atenção e amor.

Assim, deve ficar claro para nós quea primeira pessoa a quem devemos dedicar tempo somos nós mesmos. Depois estaremos em condições de avaliar com quem nos sentimos bem e com quem não.

Não mendigue a atenção de ninguém, e muito menos o amor, porque quem o ama, irá demonstrar isso de uma ou outra maneira, sem que existam interesses ou egoísmos.

Lembre-se de que uma situação de injustiça emocional requer um papel destacado do nosso amor próprio, o qual nos ajuda a examinar nossos desejos, valores e necessidades.

Não continue ligando para esta pessoa que não atende às suas chamadas. Deixe de buscar e comece a deixar que o encontrem. Deixe de sentir falta daqueles que somente estão presentes na sua vida de forma superficial, daqueles para os quais só importam as aparências, e que apenas fazem com que você se sinta bem quando há mais gente junto com vocês.
Não se esqueça de examinar as razões que fomentam o seu apego em relação a estas pessoas a quem você costuma “mendigar carinho e atenção”. Avalie a origem, seja consciente e inicie a sua transformação interna.
É necessário nutrir a sua autoestima e deixar de mendigar amor, pois o amor deve ser demonstrado e sentido, e nunca implorado. O seu carinho e a sua atenção são valiosos demais para serem desperdiçados com aqueles que não os merecem.

Dedique-se a quem o ama e o compreende, sem julgamentos nem condições.

Como se apaga uma lembrança eterna